Nota de Repúdio aos Casos de Lesbofobia




A ONG Elos LGBT do Distrito Federal e Entorno repudia os dois casos de agressão lesbofóbicas ocorridas nesta semana. O primeiro com uma estudante do 5º semestre do curso de agronomia da Universidade de Brasília (UnB), nesta segunda-feira (18). A mãe da jovem, Sílvia Rodrigues, afirma que a filha, que prefere não ser identificada, andava em direção ao carro no estacionamento do ICC Sul, por volta das 17h, desta segunda, quando foi derrubada por um homem, aparentemente com idade entre 18 e 22 anos. O agressor teria desferido socos e chutes contra a estudante enquanto gritava "lésbica nojenta". Sílvia Rodrigues diz que, após algum tempo, a filha conseguiu empurrar o homem, que fugiu. O segundo caso também com uma lésbica, a gerente comercial Kyvia Torres que perdeu parte dos dois dedos da mão esquerda durante uma abordagem policial na manhã desta quarta-feira (20), em Valparaíso de Goiás, cidade do entorno do DF.  Além da agressão verbal Kyvi  ainda teria levado socos, tapas e empurrões. Ela ficou com as marcas por todo o corpo. Ela afirma que pedia aos policiais que parassem com a agressão. Mas não teria sido atendida.

A violência sofrida pelas jovens mulheres lésbicas demonstra a dura face da lesbofobia no Distrito Federal e Entorno, a qual denunciamos todos os dias. A violência institucional e a violência social sofridas por essas jovens trazem danos irreversíveis à saúde, especificamente à saúde mental e à vida dessas pessoas.

Em 2012, houve vários casos de violência homofóbica, lesbofóbica e transfóbica e crimes de ódio no DF e Entorno. Um deles que ganhou repercussão nacional como foi o caso do Gulherme Arthur, 20 anos, assassinado com a utilização de uma faca por um garçom no Cruzeiro. Até onde vamos com isso?

Repudiamos toda e qualquer forma de violência contra as mulheres lésbicas e bissexuais e cobramos ações do Governo do Distrito Federal, do Governo de Goiás e do Governo Federal para apuração e punição dos culpados.

Defendemos a bandeira da criminalização da homofobia, da lesbofobia e da transfobia no Distrito Federal e em todo o nosso país, tipificando-a e equiparando-a aos crimes de ódio como o racismo.

Nesse sentido, é necessário e urgente retomamos a luta pela regulamentação da Lei 2.615 de 2000 por todos os coletivos, entidades, pessoas do Movimento LGBT do Distrito Federal e Entorno e parceiros (as) por uma sociedade mais humana e justa.

É urgente a criminalização da homofobia, da transfobia e da lesbofobia em todo o Brasil.    

Todas na luta contra as LGBTfobia!  

Brasília, 21 de fevereiro de 2013.    

Elos - Grupo LGBT do Distrito Federal e Entorno.



Assine a petição . O processo pela regulamentação encontra-se parado! 

Postagens mais visitadas deste blog

Lista de pessoas selecionadas atualizadas

No dia do Rock veja a lista dos roqueiros que assumiram sua HOMOSsexualidade

Edital de Seleção de Participante I Seminário Nacional de Jovens Lideranças para o Controle Social do SUS no âmbito do HIV/Aids