Dia do Orgulho Hétero vira polêmica em Salvador


O projeto de lei que cria o Dia do Orgulho Heterossexual em São Paulo, proposto pelo vereador Carlos Apolinário (DEM-SP) foi aprovado na terça-feira (2) na Câmara Municipal.
Em Salvador, o projeto de lei ainda não foi proposto, mas já é motivo de comentário de alguns parlamentares. Para o vereador Paulo Magalhães Júnior (PSC, na foto ao lado), o projeto é “coisa de quem não tem o que inventar”, mas o deputado estadual pelo PV Eures Ribeiro (na foto abaixo), pensa diferente e assegura que se a proposta for discutida terá seu apoio.   Segundo o presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), Marcelo Cerqueira, todo dia é dia de heterossexual. “As convenções sociais são pensadas para eles, por que criar o dia para quem sempre está em evidência?”questionou Cerqueira.
Em São Paulo, a data será celebrada anualmente no terceiro domingo de dezembro de cada ano, dia que passará a constar no Calendário Oficial da capital paulista. De acordo com o projeto, o Executivo “envidará esforços no sentido de divulgar a data (…), objetivando conscientizar a população e registrar a luta pela consolidação e defesa daqueles que desejam se manter homens e mulheres”. A lei deve ser regulamentada pelo Executivo em até 60 dias.
Ainda segundo o presidente do GGB, todos os dias, gays são humilhados pela família, na escola e nas ruas. No ano de 2010, o GGB contabilizou 29 assassinatos de gays na Bahia. O dia do Orgulho Gay foi criado para lembrar estes casos.

Postagens mais visitadas deste blog

Edital de Seleção de Participante I Seminário Nacional de Jovens Lideranças para o Controle Social do SUS no âmbito do HIV/Aids

Confira as 100 pessoas selecionadas para o I Seminário Nacional de Jovens Lideranças

Lista de pessoas selecionadas atualizadas