Estudo da UCLA: Apenas 3,5 por cento dos Americanos São Homossexuais



Por Wesley Ernst Correspondente do The Christian Post
Traduzido por Abigail Viana dos Santos
Apenas 3,5 por cento dos adultos nos EUA são lésbicas, gays, bissexuais ou transgêneros (LGBT), de acordo com um estudo realizado em abril 2011 pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles.
O relatório também constatou que apenas cerca de 0,3 por cento dos adultos americanos são transexuais.
"Entender o tamanho da população lésbica, gay, bissexual e transgénero (LGBT) é um primeiro passo crítico para informar uma série de políticas públicas e temas de investigação," escreveu Gary Gates, da Williams Distinguished Scholar na Faculdade de Direito da UCLA.

Gates ilustra que LGBT torna quase a população de Nova Jersey, que é o quarto menor estado da América de acordo com a massa de terra, mas é o décimo primeiro estado mais populoso.
Seus resultados foram divulgados pelo Instituto Williams, um filiado à UCLA que é especializado em estudos orientação sexual e identidade de gênero.
As informações para a pesquisa são baseadas em dois níveis-estaduais e quatro inquéritos nacionais de base populacional realizado entre os anos de 2004-2009. O estudo também revela a composição dos grupos.
Pouco mais da metade da população LGBT é bissexual, ou 1,8 por cento da população total dos EUA. As mulheres são muito mais propensas as serem bixessuais ​​do que os homens.
Sentimentos mistos sobre os Resultados
A comunidade LGBT tem sido amplamente dividida entre aqueles abraçando os resultados, e outros, expressando dúvidas. Os críticos dizem que alguns entrevistados podem ter se recusado a revelar sua homossexualidade, alegando que pode haver mais indivíduos gays do que o estudo aponta.
Mesmo Gates admitiu as dificuldades em manter a precisão, dizendo que "os métodos da pesquisa podem afetar a disposição dos entrevistados para relatar identidades e comportamentos."
No passado, grupos de defesa dos homossexuais se reuniram por trás da estimativa de "10 por cento," descrevendo a população homossexual masculina conforme citado no estudo de 1948 somente do sexo masculino realizado por Alfred Kinsey.
Conhecido pelo estudo pioneiro sistemático da sexualidade humana, Kinsey escreveu que um em cada dez homens foi "mais ou menos, exclusivamente homossexuais durante pelo menos três anos entre as idades de 16 e 55."
Estudos subsequentes desde a década de 1990 contestam esses resultados. Mas só recentemente os principais defensores do LGBT distanciaram-se das pesquisas de Kinsey.
"Embora eu obviamente não possa verificar o estudo [UCLA] em primeira mão, ele nos lembra de que a noção de 5 por cento... ou mais absurdo a de 10 por cento da população seja gay é simplesmente falsa," diz Michael L. Brown, o autor de Aconteceu uma coisa estranha com a América.
Em seu livro, Brown descreve como uma minoria silenciosa, uma vez transformada na força principal que domina a cultura-pop, Notícias e política no Capitol Hill hoje.
"A coisa triste é que muitos americanos ainda acreditam no mito de 10 por cento, e na mídia popular, muitas vezes até alimentam este mito com declarações nesse sentido vindo de personagens em programas como Law and Order: A Unidade de Vítimas Especiais ," explicou Brown ao The Christian Post.
"Dito isto, sabemos que muitos dos jovens de hoje - especialmente as meninas - estão experimentando mais com as experiências bissexuais, mas ainda podemos estar razoavelmente confiantes em que, no final, apenas uma percentagem muito pequena se identificará como lésbica.”
Fonte:Athos

Postagens mais visitadas deste blog

No dia do Rock veja a lista dos roqueiros que assumiram sua HOMOSsexualidade

Lista de pessoas selecionadas atualizadas

Sauna Soho inova na programação e conquista mais frequentadores