ArtGay - Articulaçõ Brasileira de Gays lanço moção de repúdio contra vereador homofóbico


Moção de repúdio aos atos Lesbofóbicos do Vereador e radialista 
Edicarlos Lourenço  (PR) – Porto Murtinho/MS


       A Articulação Brasileira de Gays , vem de público, repudiar a falta de decoro parlamentar e falta de ética do radialista, Educarlos Lourenço pelas  agressões verbais e morais contra a  jornalista Débora Louise Gardin - ex-assessora de comunicação da prefeitura de Porto Murtinho/MS por parte do vereador e radialista Edicarlos Lourenço.

O vereador teria chamado a jornalista de "sapatão sem vergonha, que usa entorpecente e que pega as menininhas na calada da noite" em seu programa de rádio. Em outro trecho ele disse: "(...) o prefeito me contrata o diabo duma sapatão para vim infernizar ainda mais Porto Murtinho. Ainda dá a ela um espaço de rádio, pago pela prefeitura municipal".
Já a pesquisa Juventude e Sexualidade, publicada pela UNESCO em 2004 e que entrevistou 16422 alunos e alunas de 241 escolas brasileiras, revelou que 27% deles não gostariam de ter homossexuais como colegas de classe. Ademais, 15% dos alunos e alunas consideravam a homossexualidade como doença. Ainda, quando seis ações eram apresentadas aos entrevistados – a saber: “atirar em alguém”, “estuprar”, “bater em homossexuais”, “usar drogas”, “roubar” e “andar armado” –, a alternativa “bater em homossexuais” foi a ação considerada menos violenta pelos alunos (36,1%).
Por fim, pesquisa recente, realizada pela Fundação Perseu Abramo (FPA) em parceria com a instituição alemã Rosa Luxemburg Stiftung aponta que 52% da população considera que casais homossexuais não deveriam “andar abraçados ou ficarem se beijando em lugares públicos” e apenas 20% discordam totalmente de tal assertiva.
Esse breve resumo dos dados de tais pesquisas consegue retratar como a homofobia é infelizmente ainda alimentada por ampla parcela de nossa população. Piadas, apelidos, gestos, desprezo, afastamento, agressões físicas e assassinatos são expressões de violência recorrentes contra a população LGBT. Lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais sofrem um processo complexo e perverso de inferiorização e de ameaça ao direito fundamental à vida. Sua invisibilidade é cobrada insistentemente sob pena de violência “justificada”.

Além disso, as agressões físicas e morais implicam também na maioria das vezes em um processo de auto-disciplinamento dos próprios desejos por parte da população LGBT. As conseqüências são muitas vezes depressão, sentimentos de culpa, medo, confusão, insegurança, entre outros.

Nos solidarizamos com a Jornalista Debora Godin e solicitamos ao centro de Referencia LGBT de MS e a Ong Mais Mulher que:
01 . Solicitem a comissão de Direitos humanos ou diversidade sexual da OAB/MS o pedido de cassação do registro profissional do Radialista;
02. Solicitem a comissão de ética ou presidência da Camara Municipal de Porto Murtinho a cassação do mandato do Vereador por total falta de decoro parlamentar
03. Ao Ministério Público Federal do MS que intervenha na Rádio, que é uma concessão pública e peça o fim da concessão da mesma  por incitamento ao ódio contra LGBT e a falta de respeito a dignidade Humana.
04. Ao conselho Estadual da Mulher, que coloque na pauta dos debates das comemorações do dia internacionald da mulher, o fato ocorrido.

Articulação Brasileira de Gays, aos 27 de Fevereiro de 2011.
 

Postagens mais visitadas deste blog

No dia do Rock veja a lista dos roqueiros que assumiram sua HOMOSsexualidade

Lista de pessoas selecionadas atualizadas

Sauna Soho inova na programação e conquista mais frequentadores