Apple remove aplicativo que prometia "curar" gays




São Paulo — Após mais de 150 mil pessoas assinarem uma petição online contra um aplicativo aprovado por sua App Store que promete a “cura gay”, a Apple, enfim, resolveu removê-lo da loja. O polêmico aplicativo da Exodus International propõe uma discussão sobre a “sexualidade não desejada”, chegando a sugerir uma "terapia reparadora para livrar os homossexuais de seus desejos”.

A ONG Truth Wins Out, que luta contra ações extremistas contra gays, acionou a Apple pedindo que o próprio CEO da empresa, Steve Jobs, se manifestasse em favor da remoção do aplicativo considerado preconceituoso da App Store. Quando a polêmica surgiu, na última sexta-feira, o programa da Exodus estava disponível na iTunes.
A retirada do aplicativo da loja da Apple não agradou aos desenvolvedores da ferramenta, que não pouparam críticas à empresa de Steve Jobs. “A Apple informou ter considerado o aplicativo ofensivo a um grande grupo de pessoas. Por isso o removeu. Parece que a multinacional cedeu, mais uma vez, à pressão", diz Alan Chambers, presidente da Exodus International, em clara referência à reação das ONGs e do público.
"Estamos extremamente decepcionados ao saber da decisão da Apple de negar a igualdade de representação ao público. Esperamos que reconsiderem a decisão e permita que a nossa organização possa fazer parte da conversa em andamento sobre as questões desafiadoras que nos deperamos nos dias atuais", completou o diretor, em texto disponível no site da companhia.
Fonte:Abril.com

Postagens mais visitadas deste blog

No dia do Rock veja a lista dos roqueiros que assumiram sua HOMOSsexualidade

Lista de pessoas selecionadas atualizadas

Sauna Soho inova na programação e conquista mais frequentadores