SP: Nova agressão homofóbica no Baixo Augusta


Um estudante homossexual assumido, 27 anos, morador da zona Oeste da capital paulista, registrou boletim de ocorrência afirmando que ele e um amigo foram vítimas de ataque de motivação homofóbica na madrugada do feriado de terça-feira. 
Desde novembro é o quinto caso de agressões homofóbicas registrado na região da Paulista/Augusta, a mais central e frequentada por homossexuais em São Paulo.
Por volta das 4 horas, o estudante (que preferiu não revelar nome) e um amigo subiam a Rua Peixoto Gomide, próximo à Rua Frei Caneca, ao lado do clube A Loca, quando levou uma garrafada no rosto, próximo ao olho direito. Seu amigo levou um soco no peito e afirma que os agressores tinham cabeça raspada, tatuagens e vestiam preto, sugerindo que seriam skinheads.
O estudante é casado na Alemanha, país que permite a união entre pessoas do mesmo sexo, e afirma que o ataque teve motivação homofóbica porque é facilmente identificável como homossexual.
Após a agressão, ele sangrando foi ao posto na esquina de Augusta e Peixoto Gomide e não foi atendido pelos funcionários. Seu amigo tentou ligar para a polícia, mas não foi atendido. Foi então a hospital e recebeu um curativo.
No dia seguinte foi ao 4.º DP e foi orientado a ir à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) que naquele dia não estava funcionando. O boletim de ocorrência só foi feito na quinta-feira quando foi à delegacia com o advogado Paulo Mariante, do Grupo Identidade de Campinas. Seu amigo fez um BO pela internet.

Fonte: MixBrasil

Postagens mais visitadas deste blog

No dia do Rock veja a lista dos roqueiros que assumiram sua HOMOSsexualidade

Lista de pessoas selecionadas atualizadas

Sauna Soho inova na programação e conquista mais frequentadores