UNEB promove campanha pelo fim da violência contra mulheres

Uma vida sem violência é um direito das mulheres. Esse é o lema da nova edição da Campanha de 16 Dias de Ativismo na UNEB no Combate à Violência contra as Mulheres, a ser realizada entre os dias 22 de novembro e 10 de dezembro em todos os 24 campi da universidade.            
A iniciativa, organizada por meio de uma parceria entre o Núcleo de Gênero e Sexualidade (Nugsex Diadorim) e o Sistema de Bibliotecas (Sisb) da universidade, integra a Campanha 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, que acontece simultaneamente em 159 países.
O I Encontro dos Núcleos de Práticas Jurídicas dá início à campanha da UNEB, nos dias 22 e 23. O evento será promovido no auditório do Ministério Público do Estado (MPE), em Salvador. O encontro irá discutir os aspectos jurídicos que envolvem mulheres e pessoas LGBTTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Travestis e Intersexuais), além da criação e manutenção de políticas públicas.
Pela universidade, participam da atividade o reitor, Lourisvaldo Valentim, a vice-reitora, Amélia Maraux, e os pró-reitores de Graduação (Prograd), José Bites, de Pós-Graduação (PPG), José Cláudio Rocha, e de Extensão (Proex), Adriana Marmori.            
O encontro também será prestigiado por Nilcéia Freire, titular da Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SPM), vinculada à presidência da República.
Os interessados em participar do evento, que é gratuito, devem enviar a ficha de inscrição (disponível no site www.sisb.uneb.br) para o e-mail 1encontronpj@uneb.br até o próximo dia 18.           
O pré-lançamento da campanha foi realizado em setembro, na cidade de Conceição do Coité, e contou com mesas-redondas sobre mulher, participação política e espaços de poder.

Estereótipos
Segundo Amélia Maraux, a multicampia e a multirregionalidade da universidade a credenciam para representar a Bahia e o Brasil na campanha internacional pelo fim da violência contra as mulheres.           
“Já é uma característica da UNEB articular ações acadêmicas e políticas com a sociedade civil. Dessa vez, esperamos promover um intercâmbio de ações de enfrentamento à violência, tendo como foco as mulheres e todo o segmento LGBTTI”, pontua a vice-reitora.          
A programação da campanha prevê ainda a realização de palestras, exibição de filmes, exposição fotográfica, mesas-redondas, cinedebates, oficinas, minicursos, entre outras atividades.
      
Estamos empreendendo um esforço coletivo para que cada departamento possa contribuir à sua maneira para a campanha. Ao final, será lançada uma publicação”, sinaliza a coordenadora do Diadorim, Suely Messeder.         
Messeder comenta ainda sobre os estereótipos criados acerca das mulheres. “Precisamos também combater com urgência essa violência mais refinada, que diz que temos ‘cabelo duro’, que somos ruins no trânsito, que temos que nos comportar como santas, que somos à sombra de um grande homem, enfim, que nascemos para sermos mães e donas de casa”, frisa.

Concurso

A campanha de ativismo da UNEB realiza também uma nova edição do concurso de poesia e contos. Por meio do certame, que está com inscrições abertas até o dia 10 de dezembro, a universidade busca reunir uma coletânea dos dois gêneros literários sobre a temática feminina, a ser publicado pela Editora UNEB (Eduneb), em parceria com o Sisb e o Diadorim.
De acordo com o edital do concurso, os interessados devem enviar a ficha de inscrição e os textos para o e-mail campanha16dias@uneb.br, acerca de temas como sexualidade, equidade de gênero, trabalho, cidadania, violência, raça e etnia. “O concurso objetiva dar visibilidade aos trabalhos de pesquisadores dessa temática, fortalecendo a produção científica na instituição”, ressalta Ana Lúcia Gomes, coordenadora do Sisb e uma das coordenadoras da campanha.
O resultado está previsto para será divulgado no portal do Sisb no dia 31 de março de 2011. Serão selecionados 10 trabalhos de cada categoria (poesia e conto). Cada um dos 20 vencedores receberá 10 exemplares da coletânea.


Campanha
A campanha internacional foi lançada em 1991 por feministas e movimentos de mulheres ligados ao Centro para Liderança Global das Mulheres (Center for Womens´s Global Leadership).        
No Brasil, a campanha é realizada pela organização não-governamental (ONG) Agende, que na Bahia, conta com a parceria da UNEB para a difusão e promoção das atividades.        
Oficialmente, a campanha terá início no dia 25 de novembro, Dia Internacional da Não-Violência Contra as Mulheres.          
No Brasil, a campanha inicia no dia 20, junto às celebrações do Dia Nacional da Consciência Negra.

Informações: Sisb – tel. (71) 3117-2794.

Postagens mais visitadas deste blog

No dia do Rock veja a lista dos roqueiros que assumiram sua HOMOSsexualidade

Lista de pessoas selecionadas atualizadas

Sauna Soho inova na programação e conquista mais frequentadores